TURISMO – Assinada ordem de serviço para a revitalização do Complexo Ferroviário de Caxias

0
69

A solenidade de assinatura da ordem de serviço para a reforma e readequação da Estação Ferroviária, hoje Instituto Histórico e Geográfico de Caxias (IHGC), ocorreu no auditório do próprio órgão. O superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Maranhão (Iphan-MA), Maurício Itapary, fez questão de vir a Caxias para o ato que dá início aos trabalhos da obra orçada em quase R$ 6 milhões e 501 mil.

“É um dia de muita alegria estarmos aqui assinando a ordem de serviço desse Complexo Ferroviário. É um presente para a cidade, há muito tempo o Instituto Histórico e Geográfico de Caxias vem solicitando para que iniciássemos esta obra. É um marco importante para a cultura de Caxias, visto que aqui vai se transformar em um centro cultural, com cine teatro, exposições e a sede do Instituto”, afirma Maurício Itapary.

Os recursos para a execução da obra são do Fundo de Defesa dos Dreitos Difusos do Ministério da Justiça. A obra será executada em 24 meses. Haverá área para apresentações culturais e exposições; teatro com 375 lugares, mais 6 para pessoas com deficientes e 3 para pessoas obesas; área educacional; ampla biblioteca; laboratório de restauração e digitalização de documentos, dentre outros espaços de sociabilidade, contribuindo com o turismo e o patrimônio histórico caxiense, além da valorização cultural. Escritores, membros do instituto e artistas caxienses louvaram o momento histórico para a cultura da cidade.

“É uma emoção como caxiense e como professora. Este espaço é indicado para que nós professores estejamos aqui para aprofundar estudos e pesquisas sobre a história e geografia de Caxias. Este momento de autorização para a revitalização deste espaço é algo que faz com que bata o coração mais forte”, frisa Silvia Carvalho.

“Caxias cresce cada dia mais e o instituto é um local de pesquisa e divulgação da história e dos saberes da cidade. Com esta reforma, Caxias ganha, o instituto ganha e todos os moradores da cidade, além daqueles que conhecerão Caxias”, afirma Mercilene Torres, integrante do IHGC e diretora do Memorial da Balaiada.

“Em Caxias nasceram homens que ajudaram a formatar, ampliar e a manter a identidade e a cultura do Brasil, em todas as áreas: literatura, cultura, política, saúde, economia, arte, entre outras. Todo este passado e nomes importantes serão revividos no tempo certo, com produção de peças, lançamentos de livros, exposição de pinturas, entre outros”, afirma Edmilson Sanches, jornalista e membro do IHGC.

“Quando nós observamos a união dos entes federados, atuando juntos na preservação deste passado e riqueza do Patrimônio Histórico Cultural de Caxias, vemos o resultado se incorreu para um processo participativo. Aqui será um aparelho público de interesse coletivo. O povo caxiense é o grande contemplado”, afirma Wibson Carvalho, poeta caxiense.

O momento de glória marca também o esforço conjunto de entidades e entes federativos, a exemplo do IHGC; Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Adjunta de Turismo; Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional e governo federal. O secretário adjunto de Turismo, Fernando Santos, na ocasião representou o prefeito Fábio Gentil.

“É a realização de um grande sonho, é mais uma obra que está sendo realizada, dessa vez no bairro Galeana com um Complexo Cultural de primeiro mundo. Caxias está recuperando a tradição do teatro, no final do século XVIII tivemos dois grandes teatros em Caxias e de lá para cá não tivemos mais. Além disso, a gente passa a ter mais um ponto de turismo. E, como um ponto puxa outro, a gente começa agora a lutar para ter a linha de ferro de Caxias para o Engenho d’Água, com uma locomotiva puxando três vagões que serão usados para incrementar o turismo da cidade”, reforça o secretário adjunto de Turismo.

“Devo dizer que fiquei admirado com a multidão que estava aqui, com o pessoal da empresa já contratando mão de obra para trabalhar. Foram 7 longos anos esperando este momento, mas chegou e não há porque chorar com as dificuldades, pelo contrário, cada dificuldade é um desafio para ser vencido e venceremos todos com o apoio de todos”, afirma Arthur Almada Lima, desembargador e presidente do IHGC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here