Assista ao Vídeo: clientes compram coxinhas e suco de vendedor em MG para fiscalização não apreender

“Senti que ainda existem pessoas que se preocupam com o próximo.” A frase é do vendedor ambulante Leonardo Ferreira Santos, de 53 anos, ao referir ao episódio do qual foi protagonista, registrado em um vídeo que viralizou nas redes sociais, com 3,3 milhões de acesso até a noite desta quinta-feira (22).

Leonardo vendia salgados e suco na Praça Doutor Carlos, a principal de Montes Claros, no Norte de Minas, na tarde de quarta-feira, quando foi abordado por um fiscal da prefeitura, que queria apreender os produtos e seu carrinho. Pessoas que estavam local se solidarizaram com a situação e compraram tudo o que estava à venda, para impedir o prejuízo do ambulante, que se emocionou e começou chorar.

A cena foi filmada por um pedestre, que divulgou o vídeo na internet; confira:

Visto por mais de 3 milhões de pessoas na internet, vídeo que viralizou mostra ambulante chorando e juntando notas amassadas em suas mãos (Crédito: REprodução)

“Senti que ainda existem pessoas que se preocupam com o próximo.” A frase é do vendedor ambulante Leonardo Ferreira Santos, de 53 anos, ao referir ao episódio do qual foi protagonista, registrado em um vídeo que viralizou nas redes sociais, com 3,3 milhões de acesso até a noite desta quinta-feira (22).

Leonardo vendia salgados e suco na Praça Doutor Carlos, a principal de Montes Claros, no Norte de Minas, na tarde de quarta-feira, quando foi abordado por um fiscal da prefeitura, que queria apreender os produtos e seu carrinho. Pessoas que estavam local se solidarizaram com a situação e compraram tudo o que estava à venda, para impedir o prejuízo do ambulante, que se emocionou e começou chorar.

A cena foi filmada por um pedestre, que divulgou o vídeo na internet; confira:

Leonardo conta que, como está desempregado, saiu de casa na tarde quarta-feira na tentativa de vender salgados e suco com um carrinho, na principal praça da cidade. Ele tinha a esperança de juntar dinheiro para comprar um botijão de gás. Sem renda fixa, ele disse que trabalha como ambulante na tentativa de pagar o aluguel, de R$ 350 por mês.

Segundo relato do vendedor, um fiscal da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos chegou e afirmou que o ambulante estava atuando irregularmente no meio da praça, em desobediência ao Código de Posturas do município. Diante da situação, o servidor informou que apreenderia o carrinho e os produtos. No mesmo instante começou um bate-boca entre Leonardo e o fiscal, e a Polícia Militar foi chamada. Pessoas que passavam pelo local se aproximaram.

O ambulante conta que, quando percebeu que não conseguiria impedir a apreensão, começou a distribuir o suco de graça para quem passava. “Aí, pessoas começaram a falar: ‘Você não vai distribuir de graça, não. Você está trabalhando, não está roubando’. O pessoal começou a me dar dinheiro, a pagar pelo suco”, relata Leonardo. “Fiquei emocionado e comecei a chorar, porque eu estava precisando de dinheiro para pagar o gás. Foi um gesto nobre de eles pegarem o dinheirinho deles…. Teve gente que me deu até R$ 10, e nem dei troco, porque não tinha mesmo”, acrescenta, informando que três rapazes ainda impediram que o carrinho fosse apreendido pela fiscalização.

Fonte: Com O Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here