Em manuscrito, Mariano relatou irregularidades na Marly Sarney

O médico Mariano de Castro relatou no manuscrito vazado antes de sua morte detalhes sobre irregularidades na gestão da Maternidade Marly Sarney – atual Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão.

Segundo ele, o contrato da entidade responsável pela gestão da unidade era irregularmente acrescido de valores a serem repassados para o funcionamento da Maternidade Maria do Amparo e da maternidade da Santa Casa.

O médico – apontado pela PF como operador do esquema que desviou mais de R$ 18 milhões da Saúde do Maranhão – diz que eram pelos menos R$ 288 mil para cada uma das maternidades, sem qualquer contraprestação de serviços.

“No início da administração havia um conflito nas maternidades, fiquei sabendo que as maternidades Maria do Amparo […] já tinha contrato com o município, além da maternidade Santa Casa… e seria colocado dentro do contrato da Marly o valor de 288.000,00 (mensal), acho que foi este valor, para cada maternidade, ou seja, 288 mil para Amparo e 288 mil para Santa Casa… sem prestar esses serviços, apenas incluso na prestação de contas da Marly…”, relatou Mariano.

inda de acordo com ele, o responsável por atestar as notas fiscais com irregularidades era o diretor da Marly Sarney, Edson Júnior, filho do deputado estadual Edson Araújo (PSB) – saiba mais.

“Alguém atestava… acho que o diretor da Marly. Mais de meio milhão por mês”, completou.

Em tempo: a Maternidade Marly Sarney é administrada pelo Instituto Aqcua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here