CASO MARIANO: AS MOTIVAÇÕES DE JORGE ARTURO

O advogado Jorge Arturo é peça-chave no caso que envolve o suicídio do médico Mariano de Castro e Silva. Acusado de vazar os apontamentos que levou o seu cliente a tirar a própria vida, ele deve ser ouvido pela Polícia Civil do Piauí para prestar alguns esclarecimentos, sobretudo depois de afirmar ao blog O Informante que a carta despedida vazada foi repassada pela irmã

O curioso no Caso Mariano, desde o começo, são as motivações que Jorge Arturo teria para pressionar o seu próprio cliente. Ligado à família Sarney, Arturo foi alvo da operação que desbaratou uma série de irregularidades de concessão de benefícios fiscais na Secretaria da Fazenda, durante o governo Roseana. O advogado ficou conhecido, na ocasião, como ‘Rei dos Precatórios’.

Na defesa de Mariano, Arturo foi apontado pelo advogado Zé Carlos como favorável à delação do médico, mesmo seu cliente já estando em prisão domiciliar e prestes a conseguir um habeas corpus com parecer do Ministério Publico Federal. Se estava com sua liberdade encaminhada, por que Jorge Arturo queria que Mariano fizesse uma delação? Por que ele teria vazado os apontamentos nas vésperas de sua soltura?

As motivações de Jorge Arturo, que deveria defender o seu cliente, para embaraçar a situação de Mariano suscitam um interesse político no caso. O que ele não contava é que, com o vazamento dos apontamentos feitos em Pedrinhas, o médico se sentisse com medo de voltar a prisão e tirasse a própria vida.

Agora, Jorge Arturo virou peça-central no caso. E corre sério risco de ser enquadrado no Código Penal, já que sua conduta caracteriza-se na revelação de sigilo funcional de forma intencional, dando ciência de seu teor a terceiro, mostrando documentos.

Jorge Arturo tem muito o que explicar e se defender. Principalmente em relação as suas reais motivações junto ao seu cliente.

do médico a ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here