O que se comemora hoje!…Dia Tiradentes – Inconfidência Mineira

No dia 21 de abril é comemorado no Brasil o Dia de Tiradentes, uma data criada para homenagear Joaquim José da Silva Xavier, um ativista político que se transformou em herói nacional.

A história de Tiradentes está totalmente relacionada à Inconfidência Mineira, um movimento ocorrido nos séculos XVII e XVIII que tinha como objetivo a separação do Brasil do domínio de Portugal. Naquela época, o Brasil proporcionava grandes lucros aos portugueses por meio de suas riquezas minerais, isto é, ouro e diamantes. Contudo, estas riquezas estavam começando a se tornar escassas.

Além disso, muitos não pagavam o quinto, uma espécie de imposto cobrado pela coroa sobre todo o ouro encontrado na colônia. Desta forma, o lucro de Portugal começou a cair. Reagindo a esta situação, os portugueses passaram a exercer um controle mais rígido sobre as riquezas e a aumentar os impostos. Tais medidas desagradaram a elite de Minas Gerais, que estava significativamente influenciada pelas ideias iluministas importadas da Europa.

Assim, se iniciou um movimento separatista no Brasil: a Inconfidência Mineira. A maioria dos inconfidentes eram homens ricos e cultos, com exceção de Tiradentes, um militar. O nome “Tiradentes” provém do fato de Joaquim José da Silva Xavier também exercer a função de dentista.

O movimento não teve sucesso e os inconfidentes foram presos. Tiradentes ficou preso por três anos, esperando seu julgamento. Todos os outros homens envolvidos na Inconfidência Mineira escaparam de uma pena maior, já que possuíam muitos bens; a maioria optou pelo exílio. Apenas Tiradentes foi condenado à pior das punições: em 21 de abril de 1792, foi enforcado e esquartejado.

O reconhecimento da bravura de Tiradentes só se deu em 1890. Atualmente, Tiradentes é considerado Patrono Cívico do Brasil.

INCONFIDÊNCIA MINEIRA

Inconfidência Mineira
A condenação de Tiradentes foi um dos principais acontecimentos da Inconfidência Mineira.

A Inconfidência Mineira teve como contexto o Ciclo do Ouro no Brasil, fase histórica que resultou na formação de importantes centros urbanos em Minas Gerais e no surgimento de uma elite colonial formada por grandes produtores rurais e donos de minas. Desta forma, era comum que filhos de membros da elite da época fossem estudar na Europa, tendo, portanto, contato com as ideias iluministas de liberdade, igualdade e fraternidade que reinavam no velho continente. As teorias iluministas assimiladas na Europa se tornaram importantes pelo fato de terem sido os fundamentos ideológicos de muitas revoltas contra a exploração feita pela Coroa portuguesa.

Reconstrução da execução de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes

Logo na segunda metade do século XVIII, Portugal já se deparava com o problema da exaustão das regiões auríferas no Brasil. Em virtude disso, além do “quinto”, que estipulava o pagamento da quinta parte de todo o ouro encontrado na colônia, a Coroa criou mais um imposto: a derrama. Este tributo consistia no pagamento de uma quantidade de ouro pré-estabelecida por região. Mesmo que tal região não produzisse mais aquela quantidade em virtude da própria escassez, Portugal deveria arrecadar tal valor de qualquer maneira, inclusive por meio da posse autoritária de bens e propriedades individuais.

Inconformados com a exploração abusiva da Coroa e sua política tributária, um grupo de intelectuais e membros da elite mineira, inspirados pelos ideais iluministas e liderados por Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, começou a articular uma revolta que teria por objetivo o rompimento com Portugal e a adoção de um governo republicano no Brasil. Para isso, os revoltosos escolheram iniciar a revolta em fevereiro de 1789, data em que a Coroa iria cobrar a “derrama”, justamente para amplificar a insatisfação da população contra a Metrópole.

Tiradentes Esquartejado, obra de Pedro Américo.

Contudo, a Inconfidência Mineira se findou antes mesmo de ter iniciado, uma vez que um de seus líderes, o coronel Joaquim Silvério dos Reis, traiu o movimento e contou as pretensões dos revoltosos ao governo colonial em troca do perdão de suas dívidas. Desta forma, Portugal foi capaz de sufocar o movimento. Quase todos os líderes da Inconfidência Mineira, por fazerem parte da elite mineira, escaparam ilesos de punições, fato que não ocorreu ao simples alferes Tiradentes, o qual foi condenado à forca em praça pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here