“Eu fugir de Pedreiras”, disse a mulher que foi arrastada nua pelas ruas depois que o agressor foi colocado em liberdade

“Eu fugir de Pedreiras”, disse a mulher que foi arrastada nua pelas ruas depois que o agressor foi colocado em liberdade

A jovem senhora Thaylla Pathelly Pereira da Silva, que foi arrastada completamente nua pelas do centro de Pedreiras, em outubro de 2017, já fugiu da cidade, assim que foi informada que o ex-companheiro, Luciano Luan Santos Lopes, foi inocentado e colocado em liberdade pelo tribunal do júri, realizado no último dia 7.

A vítima de tentativa de feminicídio confirmou que deixou  cidade temendo pela sua segurança.

“Eu tive que ir embora depois que esse homem foi solto. A justiça aí de Pedreiras eu vou te dizer… A justiça não, a população, porque ele foi a júri popular e esse júri lá, colocou ele na rua e agora ele tá aí solto, de cara para cima, e eu estou com uma fugitiva. Tive que deixar minhas duas filhas para trás por causa dele, entendeu? Mas é assim mesmo, não posso fazer nada, não é? Estou aqui, meu filho”, lamentou Thaylla.

Manifestação pede anulação do resultado do júri que absolveu Luciano

Na sexta-feira, dia 9, foi realizada por entidades representativas da sociedade civil de Pedreiras, uma manifestação nas ruas do Centro, protestando com faixas contra a decisão do júri, que absolveu o réu acusado de tentativa de feminicídio e homicídio contra um idoso. O Ministério Público recorreu da decisão e esperam que o Tribunal de Justiça anule o resultado do júri popular. Thaylla não estava mais na cidade e foi representada na manifestação por uma prima que fez um discurso emocionado, pedindo justiça.

Entenda

O Tribunal do Júri, no Fórum da Comarca de Pedreiras, resolveu absolver o mecânico Luciano Luan Santos Lopes (21 anos) por conta do homicídio do idoso Raimundo Amourão da Silva (78 anos) e pela tentativa de feminicídio de Thaylla Pathelly Pereira da Silva

 

Luciano obrigou a vítima a ‘desfilar’ nua pelas ruas de Pedreiras

Em um caso que teve repercussão nacional, Luciano flagrou a ex-companheira Thaylla com Raimundo em um motel de Pedreiras e acabou matando o idoso e arrastando a mulher nua pelas ruas da cidade. O crime ocorreu em outubro de 2017.

Apesar de reconhecer que o acusado foi o autor do delito, o conselho de sentença optou por colocá-lo em liberdade. Com isso, Luciano irá cumprir mais 1 ano e 4 meses em regime aberto por conta dos crimes.