Zé Carlos diz que pedido de Paulo Marinho Jr. ‘é uma aventura’

Plenário do Senado Federal durante sessão especial em comemoração ao Grito da Terra Brasil. A sessão é presidida pelo senador Donizeti Nogueira (PT-TO). Participam líderes de movimentos sociais e parlamentares. Em discurso, deputado federal Zé Carlos (PT-MA). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O deputado federal Zé Carlos da Caixa (PT), alvo do pedido liminar feito ontem (1º) por Paulo Marinho Júnior (PP) ao STF- para que o mandato do petista lhe seja entregue -, conversou por telefone com o Blog do Gilberto Léda e garantiu que não anda nem um pouco preocupado com a situação.

Para ele, a ação originária – protocolada pelo DEM no mesmo STF – já “não tem fundamento”, o que também não deve garantir qualquer efeito à petição do suplente pepista.

“Isso é desespero, uma aventura, não tem fundamento. Não pode ter liminar porque o próprio relator já negou liminar nesse caso e até a AGU se manifestou contra a ação”, destacou, citando decisão do ministro Marco Aurélio Mello, de dezembro do ano passado.

O petista acrescenta que, na visão dele, a eleição foi realizada seguindo uma lei aprovada pela Câmara e sancionada, que não pode ser modificada por liminar para produzir retroativos e atingir quem se elegeu de boa fé.

“Isso não nos preocupa, já foi analisado lá atrás. E, se houvesse alguma mudança agora, seria daqui pra frente, não retroagiria para atingir quem foi eleito dentro de regras claras, aprovadas pelo Congresso”, destacou.

O parlamentar também mandou um recado ao suplente. “O Paulo [Marinho Júnior] tem que trabalhar é ára ter votos na próxima eleição, porque com essa ação ele só vaio ter dor de cabeça”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here