EDUCAÇÃO – 100 escolas da Rede Municipal de Educação realizam a III Conferência das Com-Vidas

 

A escola Jovem Thales Ribeiro Gonçalves, no bairro Caldeirões, realizou a culminância de uma ação de educação ambiental durante a III Conferência das Com-Vidas, que são as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola, com o tema “Consciência e Sustentabilidade – uma ideia que dá certo”, que envolve a comunidade escolar como um todo. A escola apresentou as ações em uma exposição de materiais reciclados, além de uma horta orgânica com plantas medicinais.

“Já fizemos as hortas e as atividades. Nós estamos ajudando a preservar o meio ambiente”, afirma Nailton Pereira, aluno.

“Nós viramos as garrafas, plantamos usando garrafa PET. Nós estamos ajudando e aprendendo”, disse a aluna Beatriz de Jesus.

“Temos que reciclar e aproveitar, pra que quando a gente precisar a gente tenha. Nós já plantamos, colhemos, é muito importante”, reforça a jovem Taisa Ribeiro.

“Durante o ano a gente já vem trabalhando essas ações tanto dentro quanto fora de sala, então nós só temos que parabenizar os nossos alunos”, diz a professora Marinalva Lima.

Profissionais do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Caxias também estiveram na unidade de ensino falando sobre o processo de tratamento da água e dando dicas sobre o uso consciente da água potável.

“Isso aqui é apenas uma amostra do que realizamos no dia a dia. Todas as escolas realizam seus projetos de forma contínua e interdisciplinar” disse Valdete Ferreira, coordenadora pedagógica da escola.

“Deus nos proporcionou uma natureza belíssima, e estamos desenvolvendo projetos para que a gente possa mostrar a importância de preservarmos o meio ambiente”, frisa Giselma Ferro, gestora da escola Jovem Thales.

“A gente veio trazer pequenas dicas que, se todos fizerem, a gente ajuda a economizar água e ajuda o meio ambiente, como reaproveitar a água; não lavar o carro utilizando mangueira, mas o balde; não se ensaboar com o chuveiro ligado; não escovar os dentes com a mangueira aberta”, disse Edson Mauro, coordenador de Produção e Qualidade do SAAE.

O trabalho de educação ambiental saiu de 50 escolas contempladas em 2017 para 100 unidades de ensino, afirma a secretária municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT), Ana Célia Damasceno.

“Ampliamos o atendimento para que a gente pudesse de fato fazer com que as nossas crianças entendessem a importância das escolas sustentáveis e desenvolvessem a consciência ambiental que é necessária para o ser humano em si”, explica a secretária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here