Conheça todos os pré-candidatos à Presidência para as eleições de 2022 até o momento

Amenos de um ano da eleição presidencial de 2022, políticos e partidos iniciam as movimentações para consolidar alianças até o pleito. Com a pauta anti-bolsonarista em sua grande parte, o objetivo dos trâmites é viabilizar candidaturas já antes de terminar o ano. 

Nas pesquisas de intenção de voto, segundo o último levantamento do Ipec, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a corrida pelo Planalto, com 5 pontos percentuais a mais que o segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deve tentar sua reeleição. 

Principal candidato da esquerda, o ex-presidente levantou críticas ao ex-ministro e outro presidenciável Ciro Gomes (PDT) após trocas de ofensas nas redes sociais envolvendo a ex-presidente Dilma Rousseff. Sem aberturas para uma possível união entre os partido no primeiro turno, Ciro deve disputar sua quarta eleição presidencial. Com 8% das intenções de voto, ele tenta conquistar eleitores que se recusam a votar em Lula, chegando a procurar o eleitoral do Sul. 

LEIA MAIS l Ciro Gomes revela articulação com Alckmin, Kassab e Datena

O jornalista José Luiz Datena, apresentador do programa policial Brasil Urgente, da Rede Bandeirantes, declarou, ao vivo, que deixará a emissora para concorrer à Presidência da República. O futuro candidato afirmou que seu único interesse na política é ser um “bom brasileiro”.

Na última semana, o jornalista deu declarações à imprensa de que “acharia muito legal ser vice” de Ciro Gomes, presidenciável pelo PDT. No último dia 4, Datena se encontrou com o pedetista para discutir alianças para 2022. A sua situação política ainda está em avaliação

atual presidente, Jair Bolsonaro, ainda não encontrou um partido para ter o controle total, porém, é procurado por algumas legendas. Aliados do mandatário o encorajam a oficializar sua filiação ao PP, sigla do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Ao mesmo tempo, Bolsonaro também mantém diálogos com o PTB. Com o fracasso da criação do Aliança pelo Brasil, ele também considera optar por uma sigla pequena.

Nesta semana, os três pré-candidatos do PSDB, Arthur Virgílio, Eduardo Leite e João Doria participaram do debate presencial promovido pelos jornais O Globo e Valor. A disputa interna entre os tucanos representa uma tentativa de colocar o partido palco para a “terceira via”. 

LEIA MAIS l Dória defende PSDB como palco para 3º via: “Juntos teremos capacidade, unidade e discernimento”

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, já afirmou que o partido deverá lançar uma candidatura própria em 2022 e também conquistar espaço na “terceira via”. A estratégia agora é aproveitar a entrada  do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, atualmente filiado ao DEM de Minas Gerais, para se candidatar como opção à polarização de Lula com o presidente Jair Bolsonaro. 

A assinatura da ficha de filiação do parlamentar ocorrerá no Memorial JK, em Brasília. A saída dele do DEM, que se funde ao PSL para se chamar União Brasil, já foi comunicada ao presidente da legenda, ACM Neto.

LEIA MAIS l Eleições 2022: PSD pretende apresentar Rodrigo Pacheco como um novo JK

ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) também é cogitado como uma possibilidade seu  enfrentamento à pandemia da Covid-19 e sua oposição ao governo federal. Ele entrou em choque com Bolsonaro, e após sua demissão, em abril de 2020, passando a se posicionar contra o presidente para descolar sua imagem do Planalto. 

Outro nome de destaque durante a crise sanitária foi da senadora Simone Tebet (MDB-MS). A parlamentar teve atuação de destaque na CPI da Covid, sempre firme na apresentação de dados e posicionamento. A emedebista aparece como a alternativa mais viável para o MDB diante de um eventual distanciamento do ex-presidente Michel Temer de disputar o pleito. 

Também presente no colegiado da CPI da Covid, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) já apresentou sua pré-candidatura própria à Presidência da República. Com o objetivo de também conseguir lugar na terceira via, o objetivo é entrar na disputa nos próximos meses representando seu partido, que ainda deve analisar a possibilidade. A estratégia é reunir as forças de centro. 

Nesta sexta-feira, 22, o ex-juiz Sergio Moro decidiu que deve concorrer às eleições de 2022. Com o martelo batido, o Podemos já marcou para o dia 10 de novembro seu evento de filiação. Segundo a jornalista Bela Megale, colunista do O Globo, o ato deve acontecer no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

No final de setembro, Moro desembarcou no Brasil para discutir a seu futuro político. Na ocasião, o ex-ministro da Justiça do presidente Jair Bolsonaro promoveu diálogo com deputados, senadores e dirigentes do Podemos, em Brasília.

Confira lista de pré-candidatos à Presidência em 2022: 

  1. Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
  2. Jair Bolsonaro (sem partido)
  3. Ciro Gomes (apdt)
  4. Eduardo Leite (PSDB)
  5. João Doria (PSDB)
  6. Arthur Virgílio (PSDB)
  7. Datena
  8. Rodrigo Pacheco (DEM), futuro PSD
  9. Sergio Moro, futuro Podemos
  10. Simone Tebet (MDB)

Mais notícias de Política

Sobre o assunto