Homicida procurado no Brasil estava escondido em Braga

Um homicida brasileiro, procurado pela Interpol pela morte de um cidadão iraniano, no Rio de Janeiro em 2014, foi detido por inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, em Braga, onde o indivíduo estava escondido e onde se converteu ao islamismo.

O detido foi presente ao tribunal de turno de Esposende e será conduzido, na segunda-feira, ao Tribunal da Relação de Guimarães para ser avaliada a sua extradição.

Thaylan Padilha Palomanes, de 25 anos, vivia com irmão Thauann, seis anos mais velho, no Morro do Vidigal, na zona sul do Rio de Janeiro. Ambos trabalhavam na cozinha de uma pousada, onde o patrão, de origem iraniana, os terá surpreendido a traficar droga.

Millad Mille Hosseini Ballaai, então com 35 anos, despediu-os. Os irmãos que trabalhavam em troca de alojamento e comida, viram-se forçados a sair da pousada. Dias depois, de acordo com a Polícia brasileira, mataram o patrão à facada.

Irmão foi cúmplice

O corpo de Millad Ballaai foi encontrado por um funcionário enquanto decorria o jogo entre Brasil e Chile, do Mundial de 2014, que decorria precisamente no Brasil. A autoria do crime foi atribuída aos dois irmãos pela Polícia brasileira em dezembro de 2015 e passaram a ser procurados a partir daí.

Os irmãos desapareceram e pelo menos Thaylan Palomanes conseguiu instalar-se em Portugal. Há cerca de um ano que vivia na zona de Braga, onde assistia regularmente a serviços religiosos e acabou por ser detetado pelos serviços de investigação do SEF.