Caixa: Paulo Marinho esclarece denúncia sobre esquema em Caxias

O ex-deputado e ex-prefeito de Caxias Paulo Marinho encaminhou nota ao blog por meio da qual se manifesta a respeito do post “Caixa: mensagem de Paulo Marinho cita esquema em Caxias, no Maranhão“, publicado pelo site O Antagonista e reproduzido pelo Blog do Gilberto Léda no fim de semana.

Segundo ele, a denúncia feita à Caixa nada tem de ilegal, porque baseada em “um fato verdadeiro”.

“Há, na estrutura da CEF uma hierarquia que foi seguida, portanto instar ou comunicar um fato verdadeiro relativo a um contrato celebrado solicitando providencias nao significa nada ilegal”, destacou.

Veja abaixo (sem revisão do editor).

Diferente da versão publicada o fato ocorreu em 2010 e diz respeito ao cerceamento imposto por força politica de Humberto Coutinho (AMORIM COUTINHO), ao cumprimento de um contrato legal celebrado com a CAIXA para construção de apartamentos destinados a pessoas de baixa renda. Humberto Coutinho sem nenhuma razão plausivel, tão somente por motivação politica, negou a emissão do ALVARA PARA CONSTRUÇÃO,de uma obra cujo contrato ja havia sido assinado na Caixa. Após a assinatura do Contrato a empresa tem um prazo legal para encaminhar a Caixa a documentação relativa a conStrução dentre os documentos exigidos está o ALVARÁ NEGADO por razões meramente politicas. A CEF, regional, aquele momento impos a assinatura de uma clausula de condição resolutiva ilegal, cujo objetivo cingia-se a exigencia do ALVARA NEGADO.

Há, na estrutura da CEF uma hierarquia que foi seguida, portanto instar ou comunicar um fato verdadeiro relativo a um contrato celebrado solicitando providencias nao significa nada ilegal. Apesar disso o ALVARA não foi concedido e os apartamentos não foram construidos havendo prevalecido a vontade politica de Humberto Coutinho que atraves da Construtora do irmão, EUGENIO, (amorim coutinho) acabou construindo as unidades cujo contrato foi rescindido por força do não cumprimento da “condição resolutiva” imposta. Sendo assim qualquer especulação fica creditada ao “momento” politico torpe que vivemos onde fatos são transformados em “noticias” sempre focadas na destruição da imagem de alguem. Ao final cumpre tambem deixar claro que afora a intervenção politica de HUMBERTO COUTINHO , algo localizado em CAxias, esse fato nao teve qualquer participação de partidos politicos, seja PT, PCDOB ou PMDB conforme faz crer a materia.

Quando me refiro a construção das unidades faço referencia a EMPRESA AMORIM COUTINHO, que apos a negativa do ALVARA, construiu milhares de unidades do MCMv em Caxias e em todo o Maranhão. Esse fato sim merece uma investigação acurada pois poderá revelar a verdade dos fatos.

Publicado em  por